Cíntia perdeu 25kg e enterra de vez o apelido de “gordinha”

Descubra o segredo que fez Cíntia perder 25kg e enterrar de vez o apelido de “gordinha”

 

O apelido de “ gordinha ” era muito comum para Cintia Narlock. Ela sofreu bullying na infância, quase passou pela cirurgia bariátrica e teve sérios problemas com sobrepeso e obesidade durante suas gestações.

“Eu sempre fui gordinha e luto contra a balança desde adolescente. Poucas pessoas me chamavam pelo nome e na minha escola eu era conhecida como a gordinha da sala. Por isso, comecei a tomar remédio aos 18 anos de idade. Até consegui emagrecer nessa época, mas voltei a engordar e ganhei o dobro do peso que tinha perdido. O remédio fez muito mal ao meu corpo. Era uma bomba!”

A insatisfação de Cíntia com o seu corpo não se limitou apenas a sua adolescência e as dificuldades estavam só começando.

“Quando engravidei pela primeira vez, eu ainda não era casada e o meu marido era apenas meu namorado. A gente tinha planos de se casar, mas não tão cedo. O nascimento do Vitor fez com que esses planos adiantassem um pouco e nós fomos morar juntos. A minha rotina de mãe de primeira viagem era muito desorganizada e, consequentemente, eu engravidei acima do peso (com 94kg). Além disso, tive pressão alta e precisei fazer cesárea. Quando ganhei meu filho, eu estava com 110kg”.

Pouco tempo depois, o peso de Cintia aumentou bastante e os cuidados eram quase mínimos em vista da atenção que seu corpo precisava.

“Eu tentei fazer uma dieta, mas, infelizmente,  não durou muito. A minha compulsão alimentar foi muito mais forte do que eu. Engordei muito (e sem perceber), porque não via motivos para manter minha alimentação saudável uma vez que já tinha alcançado meu objetivo. Era 8 ou 80: ou seguia a dieta à risca ou tudo desandava”.

Algum tempo depois do efeito sanfona…

“Eu fui para os 95kg, engravidei de novo de forma não planejada e o meu pensamento continuou o mesmo: ah, eu estou grávida! Vou comer à vontade! Eu me descuidei tanto que tive a minha segunda filha com 112kg. Depois que ela nasceu, eu só cheguei aos 100kg”.

‘Você precisa trabalhar’

“Após discutir o assunto com sua mãe, decidimos que você deve deixar essa casa imediatamente”, disse o casal na primeira carta de despejo enviada ao filho, em 2 de fevereiro, segundo os documentos do processo.

Quando Michael ignorou a mensagem, seus pais redigiram uma ordem de despejo propriamente dita, com a ajuda do advogado. “Você está sendo despejado por meio desta”, diz o documento assinado por Christina em 13 de fevereiro.

“Medidas legais serão tomadas imediatamente se você não se mudar até 15 de março de 2018.” Michael não saiu.

O casal escreveu, então, uma nova mensagem em 18 de fevereiro, oferecendo US$ 1,1 mil (cerca de R$ 4 mil) para que ele saísse. O texto incluía alguns comentários pessoais sobre o filho.

De acordo com a emissora WABC News, Michael considerou a ação movida por seus pais como uma “retaliação” e pediu que a Corte rejeitasse seu pedido.
 
Nesta terça, 22, o caso foi julgado, e o casal saiu vitorioso. O juiz ordenou que o filho saia de casa. Michael disse que a decisão é “revoltante” e entrará com recurso.

Deixe uma resposta